A Universidade Lusófona

O nome da Universidade deriva da expressão “Lusofonia” que designa o espaço cultural e linguístico comum demarcado pelo uso da língua Portuguesa. A Universidade Lusófona assume-se com a instituição responsável pelo desenvolvimento científico, cultural, social e económico deste espaço geográfico e linguístico com mais de 200 milhões de habitantes.

A sociedade civil e os cidadãos em geral esperam que as Universidades e as instituições de ensino superior em geral sejam um dos polos centrais de desenvolvimento dos seus países e da sua cultura. No meio de constrangimentos e adversidades diversas, e de um enquadramento nacional a nível legal, económico e social nem sempre favorável, o ensino superior, e em particular o ensino superior privado, tem vindo a desempenhar de forma globalmente positiva este papel em Portugal ao longo dos últimos trinta anos.

A Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias conseguiu ao longo desse período afirmar-se como a maior instituição de ensino superior Portuguesa do subsetor particular e Cooperativo, parte integrante e vital do Grupo Lusófona, o Maior projeto de ensino de língua Portuguesa presente com estabelecimentos de ensino e formação em Portugal e em todos os países de língua portuguesa (http://portal.grupolusofona.pt).

Hoje, a procura por uma formação de nível superior atinge níveis nunca verificados no passado e as instituições de ensino superior veem-se confrontadas com públicos cada vez mais variados e diversificados. Muitos destes estudantes representam públicos diferenciados, como os alunos maduros ou de origem estrangeira, que colocam às instituições novos e estimulantes desafios.

Paralelamente, as instituições de ensino superior sentem cada vez mais a necessidade de alargar a base de desenvolvimento das suas atividades, deixando de se centrar em exclusivo na produção e acumulação de conhecimento, para se preocuparem de forma mais ativa com a distribuição e circulação de conhecimento entre a rede de instituições e organizações que se reúnem em seu redor.

Assim, paralelamente aos alunos e professores, objetos únicos da atividade das Universidades no passado, as empresas e outras organizações surgem cada vez mais como um dos vértices centrais da atividade Universitária e um pilar nuclear do seu crescimento e sustentabilidade.
Massificação, internacionalização, inovação e empreendedorismo, são assim termos que passaram a fazer parte do vocabulário da vida das Universidades e que importa a cada instituição conseguir interiorizar nas atividades do seu dia-a-dia.

As transformações no perfil dos públicos-alvo das instituições têm sido acompanhadas por profundas mudanças nos modelos de ensino e formação, nomeadamente aquelas que resultaram da implementação da Declaração de Bolonha. Acima de tudo, hoje as instituições de ensino superior são chamadas a definirem claramente qual é que desejam que seja o seu papel na sociedade e qual a sua contribuição para o desenvolvimento social, económico e social da comunidade em que se inserem.

A Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias tem como missão central contribuir através das suas atividades de ensino e investigação para o desenvolvimento científico, cultural, económico e social de Portugal e de todos os países onde se fala a língua Portuguesa.

Em ordem à prossecução destes objetivos a Universidade desenvolve atividades de formação, investigação e prestação de serviços nas mais diversas áreas do conhecimento relevantes para a sociedade, e procura constantemente e de forma ativa constituir-se como um parceiro válido e imprescindível para todos aqueles que, como ela, acreditam que a formação superior e o conhecimento são os principais elementos impulsionadores do desenvolvimento e progresso da nossa sociedade.